segunda-feira, 2 de novembro de 2009

ESTUDO MULHERES CHEIAS DE GRAÇA ( PARTE l )

Amor

Maria, a vida derramada em Amor

Marcos 14: 3-9 e João 12: 1-9

Maria demonstrou seu amor quando ela quebrou a tampa do vaso de alabastro. Não mediu conteúdo. Deixou aquele caríssimo perfume de nardo cair ate a ultima gota sobre os pés de Jesus, enxugando-os depois com os seus cabelos. Maria esqueceu-se de si mesma e de todos ao seu redor.

Foi criticada pelas pessoas, porque havia derramado perfume que valia a soma do salário de um ano. Como mulher, ela havia dado o que era seu – as economias de sua vida. O perfume lhe pertencia. Talvez parecesse ação precipitada, ousada, mas o presente era dela e era seu o direito de dá-lo. Jesus não espera de nós mais do que possamos fazer; ele compreende.

Sempre haverá alguém para criticar, alguém para calcular, para desmerecer-nos, para dizer que deveríamos ter feito maneira diferente. A rejeição pode produzir amargura em nós, mesmo quando sabemos que fizemos o melhor que podíamos. A critica injusta endurece o mais espontâneo coração.

Maria é lembrada em todo mundo onde quer que o evangelho seja pregado. Essa mulher terna é lembrada porque derramou, sobre os pés de Jesus, tudo quanto possuía. Esta é a lei do amor. Você pode dar sem amar, mas não pode amar sem dar.

O amor não tem reservas, não se pode economizar. Para que o amor cresça é preciso dá-lo.

Paulo escreveu acerca do amor em 1 Corintios 13, vejamos algumas características do amor:

· O amor não se irrita: você não é rápida para correr em sua defesa; aprende a ser boa quem a trata com orgulho e desprezo.

· Cortês: o amor é construtivo, em lugar de você diminuir alguém tente pensar um modo de elevá-lo.

· Não registra as ofensas: não conserve ofensas como um livro, pois pequenas irritações enfraquecem o nosso amor. O amor, porem, não insiste nos “meus direitos”.

· Deixe de repreender: o amor tem um jeito melhor de se se comunicar, um jeito que edifica em vez de destruir.

· Amar ao próximo: devemos amar a todos que nos rodeiam, tem que estar preparada para amar ao próximo se quiser amar a Deus.

O amor é a soma de todas as graças, o curador das lembranças, a lei real das Escrituras. A beleza do fruto do Espírito esta em que ele é como um cacho de uvas. As partes são muitas, mas formam um só fruto. Da mesma forma, no amor encontramos paciência, bondade, mansidão, amabilidade, benignidade, auto controle, fé – cada virtude é parte do fruto, e cada uma forma o todo.

Um comentário:

  1. Graça e paz!
    “Andando” por aí cheguei até o seu Blog e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
    Já estou te seguindo e será uma honra te receber no pastoragente.blogspot.com.
    Se quiser segui-lo vai ser uma alegria pra mim.
    No blog conto da forma mais realista e divertida possível as realidades, dúvidas e experiências de uma simples pastora como eu.
    Fique na paz. Um abraço.

    ResponderExcluir